Pioneiros de Eldorado

Pioneiros de Eldorado

Navio Capitão Heitor que  trazia os pioneiros para Eldorado,


José Cicero da Silva 
ELDORADO – Pioneiro e desbravador do vilarejo Colônia Velha, hoje a nossa pujante Eldorado, há mais de seis décadas, contribuiu para o desenvolvimento do município, seus primórdios e sua criação teve participação imprescindível deste grande cidadão. José Cícero da Silva, com o seu jeito simples de ser, ainda jovem chegava na terra desabitada, onde na sua alma humana havia tanta esperança, veio na época “década de 50” com sua esposa Maria do Rosário Silva e com seus dois filhos José Carlos e Luzia como um desbravador, em mata fechada, tendo mais 10 filhos: Nelson Cicero (o 1º homem nascido na cidade) Cleusa, Derson, Elisabeth, Leonardo, Paulo Roberto, Edson Luiz, Marcos Lindomar, Sergio Denner e Juniomar, totalizando uma prole de 12 filhos, aqui plantou todas as raízes, oriundo do trabalho honesto,pai exemplar, amigo e companheiro, e o que mais nos impressiona dado o seu crescimento pessoal e empresarial, estar pautado na dignidade, seriedade e aplicação de todos os seus recursos no próprio município, agregando um rol de atividades e empresas, tais como: comercio de atacado e varejo de produtos alimentícios e congêneres, loja de tecidos e confecções, lanchonete, sorveteria, agrotóxicos, cerealista, madeireira, cinema, agropecuarista, fazendas e outros, contribuindo de forma ampla a uma grande gama de pessoas de nossa comunidade, tanto, à nível de serviço como no setor social, irmão e amigo do povo, na luta sempre, sem jamais deixar a estrada… O Homem venceu, como símbolo de pujança. Com muita experiência de vida, o tempo parecia voar, olhava o passado com ternura e tanta saudade! Em momento de infortúnio, sabia administrar, assim foi o homem que viveu sempre em paz na cidade… Faleceu aos 87 anos na quarta-feira 21 de novembro, as 06:40h no Hospital CEMIL de Umuarama PR, seu corpo sendo velado em sua residência , na Rua Santa Terezinha, nº 944, centro, e seu sepultamento ocorrerá hoje, quinta-feira dia 22.
“Descansa JOSE CICERO, enxugaremos nossas lágrimas e guardaremos eternamente em nossos corações a sua imagem amada. Cumpriu sua missão na terra, onde semeou o bem e a bondade. Partiu, deixando em todos os corações a mais infinita saudade, que o tempo jamais conseguirá apagar. Jesus que o chamou para sua DIVINA companhia, há de protegê-lo sempre com o seu coração, consolando-nos a vivermos na terra unidos eternamente na sua doce lembrança.
VOU PARA O PAI, MAS NÃO ESQUECEREI AQUELES QUE AMEI NA TERRA”. Saudades dos filhos, netos, bisnetos, genros, noras, sobrinhos e de todos os amigos.

10/10/1925
21/11/2012


Sebastião de Paula
Sebastião de Paula Souza, Paranaense de Siqueira Campos, nascido em 24 de Dezembro de 1922, ingressou em 1940 no Exército em Curitiba, onde destacou-se como soldado. Casou-se com Elvira Bassani de Souza e tiveram dez filhos, sendo seis mulheres e quatro homens. Trabalhador da roça desde criança, tornou-se um defensor da ecologia e da justiça social.
Exercia certa liderança na comunidade onde residia. Rinha grande desprendimento em servir (principalmente na área da saúde). Cursou até a terceira série do primário. Tinha gosto pela leitura. Enfrentou muitas dificuldades na vida para alcançar o almejado pedaço de chão.
Seu sonho de juventude era poder continuar seus estudos. Seu sonho de pai, ver seus filhos bem-sucedidos e pelo menos na carreira política.
Tinha carinho especial pelo magistério, tendo quatro de suas filhas professoras.
sua dedicação foi reconhecida pela câmara Municipal no ano de 1983 como cidadão, que muito lutara pelo direito e dignidade do ser humano.
No ano de 1995 a Secretaria Municipal de Educação presta justa homenagem, dando seu nome a maior escola do município. Em 1999 a paróquia Nossa Senhora Aparecida também o homenageou pela dedicação como primeiro presidente e pela acolhida que fizera aos primeiros missionários.
Morreu em 22 de fevereiro de 1992, aos 69 anos, mas deixou uma lição de amor, honestidade, desprendimento, resignação e companheirismo.
Ainda hoje é lembrado por seus amigos como o companheiro fiel de todas as horas.

24/12/1922
22/02/1992

Professora Otília, 20 de Abril de 2016