Comunidade Aldeia Cerrito

 

Imagens de Satélite da Comunidade Aldeia Cerrito.

 

 

Localizada em Área Rural na Estrada EL 51, Aldeia Cerrito a 40 km da cidade de Eldorado.

A história da Aldeia Cerrito, é antiga e muito interessante, podemos entender  como essa comunidade viveu e como vive atualmente.

Ao comparar o presente com o passado, podemos concluir que houve mudanças no modo de viver, ou seja, na cultura.

Conforme informação dos mais antigos, por volta de 1910, já existia Índios Guarani/ Kaiova, habitando na região, e que na época tinha nome dado ao lugar pelos Brancos como Fazenda Cerrito.

Os primeiros moradores desta época foram: O senhor Tomas Nunes, Makati, Francisco, Micácio,  Mingo Duarte, Felix, Afonso, Antonio Guavirá, eram apenas 06 famílias. Essas Famílias permaneceram no lugar mesmo depois que apareceu um branco por nome de: Mário Meles, que se apossou da terra, ilegalmente, passou a ser então proprietário, deixando somente uma pequena parte, para os Guarani e Kaiova.

Os Indígenas trabalharam como cortadores de erva para Mário Meles, no tempo da firma Mate Laranjeira, que explorava a erva mate na região, e também, criava gado.

Em 1928, foi escolhido como líder o Senhor Tomas Nunes, Índio Guarani, morador nato da região.

Os moradores mais antigos são todos falecidos, porém sepultados na redondeza da Aldeia.

Por volta de 1986, a Fazenda Cerrito, ainda era dominada pelos brancos. E a comunidade começou se organizar e lutar pelo direito da posse de terra, acompanhada pela FUNAI, que demarcou uma parte da área com 1950 hectares. Na época, a comunidade tinha como líder o Senhor Adolfo Martins, com  44 anos de idade, neto do Tomas Nunes.

Após 04 anos de mandato, o senhor Adolfo Martins, entregou o cargo, em 1992 ao senhor Elmo Benites, hoje com 36 anos de idades, da etnia Guarani.

Em 2001, foi retomada a outra parte da área com 1378 hectares, ainda em legitígio.

A população atual é de 170 famílias, totalizando aproximadamente 600 moradores, e a Escola Indígena atende um total de 155 alunos matriculadas de 1º a 8º Ano no Ensino Fundamental.

Hoje os moradores da Aldeia Cerrito tem uma participação mais ativa na comunidade, acompanhando e participando através de seus lideres das organizações sociais: Educação, Saúde, Luz Elétrica, Agricultura e pelos direito de retomada de seu território e demais direito garantido pela Constituição Federal.

Informação colhida através dos entrevistados o senhor Joaquim Martins com idade de 89 anos, da etnia guarani, e o senhor: Roque Martins, com idade de 87 anos, etnia guarani.

A Terra Indígena Cerrito conta com uma população com cerca de 600 pessoas, com 170 famílias. Estão matriculados na escola 155 alunos, atendidos por 08 professores.